Prezados Cooperados e Funcionários da
Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos,

O Jornal Estado de São Paulo(Estadão) publicou em 04/08/2015 que juntos, os bancos Bradesco, Santander e Itaú lucraram R$ 12 bilhões no trimestre de 2015.
Apesar da diminuição na tomada de empréstimos e a crise financeira no Brasil, os bancos obtiveram neste trimestre um rendimento maior do que no ano passado.
Segundo o economista francês, François Morin, 28(vinte e oito) bancos internacionais, detém o controle mundial dos mercados de câmbio, de juros e de capitais.
No Brasil os cinco maiores bancos (Itaú, Bradesco, Banco do Brasil, CEF e Santander) controlam 83% dos ativos financeiros. Em 1995 o montante desses ativos por eles controlados era de 68%.
A partir do próximo ano, os recursos acumulados pelos 1% mais ricos do planeta ultrapassarão a riqueza do resto da população, segundo um estudo da organização não governamental britânica Oxfam.
Os 160 bilionários brasileiros detêm 14,66% (R$ 806,6 bilhões) do PIB (R$ 5,5 trilhões).
Informações que comprovam uma tendência crescente da centralização das riquezas nas mãos de uma minoria da população mundial.
O que tudo isto tem a ver com a nossa cooperativa de crédito (CREDCORREIOS)?
A filosofia do Cooperativismo, contida nos seus sete princípios, não tem como preceito a concentração de riqueza com base nos lucros.
As cooperativas distribuem as suas sobras entre todos os associados, conforme o grau de participação ou trabalho de cada um para gerar os resultados. Não existe concentração de valores financeiros em nossa Cooperativa. O objetivo da CREDCORREIOS é atender as necessidades dos associados, principalmente disponibilizando recursos financeiros, por meio de empréstimos.
A contínua e crescente concentração de capitais no mundo é a principal causa de distúrbios sociais e conflitos entre as Nações. Temos exemplos na história de guerras sangrentas motivadas pela exploração de classes, escravidão ou posse de riquezas de uma Nação por outra.
A nossa Cooperativa é o contraponto desta lógica que incentiva a concentração de poder e riqueza.
Quando todos os empregados dos Correios entenderem estes conceitos teremos uma cooperativa do tamanho do Brasil ou do tamanho dos Correios que está espraiado por todo o território brasileiro.
Pensem nisto.

Manoel José Brum dos Santos
Diretor Presidente